José Paulo Fafe

Vão mas é dar banho ao cão!

O ACTUAL director do “Expresso”, jornal que na altura em que Pedro Santana Lopes era primeiro-ministro, chegava ao ponto de dar grande destaque a alegadas “sestas” do chefe do executivo (e sabe-se lá a que mais…), resolveu escrever um texto onde – não percebi se em jeito de penitência ou se apenas porque lhe dá jeito para dar umas “ferroadas” no actual governo –  vem a terreiro, mais coisa menos coisa, afirmar que se no governo liderado por Santana Lopes tivessem ocorrido metade dos “casos” que já tiveram como palco os governos de Passos Coelho e até de José Sócrates teria então caído o carmo e a trindade. Já li, reli e “treli” o que Ricardo Costa escreveu sob o título “Razões atendíveis para lembrar Santana Lopes“. E ainda não consegui perceber – até porque tenho memória… – se Costa é parvo (o que sinceramente me recuso a acreditar) ou se acha que o somos todos – o que pelos vistos me parece mais crível, a atentar na desfaçatez com que alguém que participou empenhada e militantemente no “golpe constitucional” que conduziu à dissolução da Assembleia da República vem agora candidamente quase “desculpar” quem na altura foi autenticamente “crucificado” na praça pública. 

7 ComentáriosDeixe um comentário

  • Amigo ZPF
    Já é a segunda vez que o “irmanaço” escreve algo assim, na base do “deixe-me dar-lhe o beijo de Judas depois do trair”…
    Deve ser a consciência que doí.
    Se calhar até tem alguma…No entanto eu concordo contigo…Essa gente não dá ponto sem nó e agora aproveitam a imagem de Santana Lopes, que está limpa e cada vez mais justificada a miséria que lhe proporcionaram durante anos, para ficarem bem na fotografia….
    Como disse Santana Lopes no seu blog,registei. Mas não mais que isso….Afinal é um Costa….

  • Ainda bem que alguém se lembra e chama as coisas pelo nome… golpe de estado foi o que aconteceu com Sampaio. Assim se afastou quem poderia ter dado a volta ao país

  • Santana Lopes começa a ser lembrado e sobretudo reconhecido. Vem tarde, mas o tempo é infalivel.

    Socrates e Coelho não são capazes para governar. Precisavam de comer muito pão para chegar aos calcanhares de Santana Lopes.

    Infelizmente agora é que Costa, o Ricardo se lembra e elogia…Mas antes tarde que nunca.

  • Será que Ricardo Costa de repente percebeu que não foi / nem é justo culpar eternamente alguém que viu o seu trabalho e o trabalho do seu executivo interrompido de forma abrupta por um Presidente que deu de “braços abertos” o poder e o rumo de Portugal ao (pouco) socialista José Sócrates?

    Mas se calhar não. Se calhar o artigo é só charme “Costa”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *