José Paulo Fafe

Uma vitória que afinal parece ter sido “de Pirro”


A CRER na notícia publicada na edição de hoje do “Expresso”, a anunciada derrota que Ricardo Salgado teria, segundo a manchete de sexta-feira passada do prestável e diligente “Jornal de Negócios”, infligido a quem alegadamente o teria tentado destronar da liderança do grupo Espírito Santo parece afinal não ter passado de uma “vitória de Pirro”. É que, para além de José Maria Ricciardi, apesar de ter vindo a público afirmar com todas as letras que recusou a dar um voto de confiança à actual liderança do BES, manter-se à frente do BESI (Banco Espirito Santo de Investimento), soube-se hoje que o tal voto de confiança solicitado em jeito de “ultimato” por Salgado foi aprovado pela cúpula do grupo, segundo o “Expresso”, apenas “com a condição de se iniciar imediatamente o processo de sucessão e alteração do modelo de governação“. Ou seja, por outras palavras: desde anteontem que se iniciou a contagem decrescente para a sucessão de Ricardo Salgado à frente do grupo Espírito Santo. Les jeux sont faits…

2 ComentáriosDeixe um comentário

  • Amigo ZPF
    Nunca nos devemos meter entre famílias!!! É perigoso.Pode haver até alguma “bala perdida”.
    Eles que se matem entre eles!!
    XÔÔÔ…..”kagente…Deusmalivre”!!!
    Olha, filha minha é que não ia parar a essas famílias de tão “fino trato”……

  • Amigo ZPF
    Nunca nos devemos meter entre famílias!!! É perigoso.Pode haver até alguma “bala perdida”.
    Eles que se matem entre eles!!
    XÔÔÔ…..”kagente…Deusmalivre”!!!
    Olha, filha minha é que não ia parar a essas famílias de tão “fino trato”……

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *