José Paulo Fafe

Uma "partilha" sem pés nem cabeça ou uma intenção disparatada…

bandeiras

A INTENÇÃO anunciada pelos socialistas portugueses e espanhóis de, caso virem a ser governo nos seus países, “partilharem” algumas das suas representações diplomáticas e consulares no estrangeiro é um dos maiores disparates que alguma vez um partido propôs em matéria de política externa. E até poderia ser admissível se esta proposta descabida e sem qualquer nexo tivesse nascido de algum desses minúsculos e inexpressivos partidos que – coitados… – em matéria de propostas pré-eleitorais se refugiam na insanidade e no dislate permanente. Mas não, a ideia luminosa partiu de um partido que é “só” o principal partido da oposição e que é naturalmente um partido com óbvias e acrescidas responsabilidades, até por ter a natural expectativa de vir a formar governo a curto-prazo – assim ganhe as eleições legislativas daqui a três meses.

O acordo que o PS e o PSOE assinam hoje em Lisboa e que contempla, no caso de virem a ser governo, a “partilha de embaixadas, consulados ou espaços dos institutos culturais como o Cervantes ou o Camões” é estrategicamente um erro colossal e só próprio de quem desconhece o mínimo e o básico da nossa história, da história da nossa política externa e nomeadamente o percurso e as vicissitudes das nossas relações com Espanha. Só um ignorante ou alguém que não estivesse no seu perfeito juízo é que poderia ter aconselhado António Costa a incluir (e assinar) um item desse calibre no acordo entre os socialistas ibéricos. E enganem-se os que pensem que aqui pode existir da minha parte algum anti-iberismo, nada disso – apenas e só algum conhecimento do que é viável e inviável nesta matéria. E nesse sentido, permitam-me adiantar um detalhe que só vem confirmar o disparate da proposta dos socialistas ibéricos: desde sempre (e aqui o “sempre”, remonta aos anos 30 pelo menos…) que nenhum embaixador não-residente acreditado em Portugal recebe o agréement do governo português se estiver também acreditado em Madrid…

Não resisto a perguntar o que dirá a semelhante disparate o embaixador Francisco Seixas da Costa

1 comentárioDeixe um comentário

  • Rajoy e Passos,numa onda de “festinhas” ao irmão pobre,tambêm se encontraram na Galícia…..PARA NADA…
    .”Da cimeira ibérica só resultaram “decisões sobre o nada”,diz a “Lusa” na sapo.pt…
    O “nada” é sempre uma palavra,uma actitude,um sentimento institucionalizado no Estado Português,sejam eles PS ou PSD que estejam no Governo.Infelizmente o PP quis fazer parte do “nada” e depois de 5 anos de casamento com Passos,Portas faz ainda pior e faz coligação.
    Claro que como eu,milhares e milhares de pessoas que votam geralmente PP,não o farão pois o PSD é liderado por Passos (se fosse outra pessoa seria distinto) e outros milhares de PSD’s não votarão neles por ter Portas no assunto.
    É sabido e bem sabido que Portas é abominado na São Caetano,que os militantes do PSD não gostam nem um bocadinho dele e que o casamento é um perfeito disparate.
    No PP o silêncio é gritante…..ninguêm tem coragem de dar a cara,”as always”…
    E o “nada” passa as fronteiras…..
    Dois Países dentro duma só Península,unidos pela História e por ADN (tirando os Lusitanos e esses estão quase extintos) e que estão a “anos luz” um do outro.
    Faz lembrar a série dos anos 70/80 “Irmão rico-irmão pobre”…
    As Capitais unidas por avião,num ridículo e caríssimo voo de 45 minutos,ou em BUS.
    Um lamentável,miserável e caríssimo comboio que demora DOZE HORAS,repito, DOZE HORAS…..uma vez mais 12,12,12,12,12 HORAS!!!!! para fazer 500km (por estrada é algo mais) que envergonha até o pior comboio duma Índia ou Paquistão( OS MESMOS KM’s SEPARAM SEVILHA E MADRID E FAZEM-SE EM COMBOIO NUMA HORA E 45 MINUTOS,repito, 1 HORA E 45 MINUTOS!!!!!) e uma auto-estrada caríssima na parte Portuguesa.(em Espanha é GRÁTIS!!!!!)(Chamo a atenção ao crime repetido diariamente pelo Estado Português na Via do Infante que NÃO CUMPRIU a ORDEM dada pela União Europeia de parar imediatamente o cobro das portagens ao TER SIDO CONSIDERADO ILEGAL!!!! Uma vez mais na parte espanhola é GRÁTIS!!!)
    Se eu fosse PM de Portugal nem saía de casa de VERGONHA,mas claro,para isso é necessário tê-la!!!
    Enquanto os portugueses “deixarem” que governantes como temos tido nos últimos 41 anos,governem, o “NADA” será sempre a palavra de ordem da Nação Lusa.
    Aos que querem ser cegos,ofereço óculos.
    Basta cruzar a fronteira e abrir os olhos,meus caros.
    Eu não tenho sangue de avestruz e a areia está na praia!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *