José Paulo Fafe

Uma história que parece não ser tão simples quanto isso…


SOBRE A questão dos 74 cidadãos sírios (serão todos sírios?) que, vindos num vôo da TAP proveniente de Bissau, apareceram por obra e graça do Espírito Santo no aeroporto da Portela na terça-feira, há qualquer coisa que para mim não bate certo. Porque é que só hoje, dois dias depois, é que é referido que os funcionários da TAP na capital guineense teriam sido obrigados a embarcá-los por força das armas?  E porque é que ontem apenas se falou em “pressões” sobre esses mesmos funcionários? Talvez não fosse má-ideia, também a TAP (e não só a TAP…) averiguar convenientemente onde começou, acabou (e por onde passou…) todo este verdadeiro imbróglio que não é tão simples como nos querem fazer crer. Vai uma aposta?

2 ComentáriosDeixe um comentário

  • Amigo ZPF
    Em Diplomacia não posso competir contigo pois bebeste tudo isso desde que nasceste, mas eu estou estupefacto com o que o Governo de Guiné Bissau fez e continua a fazer(em vez de um pedido oficial de desculpas) em relação ao escândalo com o avião da TAP, os passageiros e pior, a tripulação que foram ameaçados com armas para deixar embarcar um grupo de gente (não se sabe de onde nem quem são realmente se bem que se especula que são Sírios) com passaportes falsos para os mandar para Lisboa.
    Isto é intolerável e acho que a TAP fez muito bem em cancelar as comunicações com Bissau.
    O que mais me choca é os comentários dos Ministros Guineenses que estão “muito chocados” com a atitude portuguesa.
    Esta história com a Guiné é velha.
    Todos sabemos que é o povo mais violento de todas as ex-colónias e que a Guerra Colonial foi altamente sanguinária precisamente lá, em comparação aos outros Países que aliás, em 74 já a tinham perdido.
    Eu tinha colegas na Faculdade que eram da Guiné e só por serem de “castas” distintas odiavam-se entre eles apesar de filhos da mesma Nação.
    Todos os outros se davam muito bem.Angolanos;Moçambicanos;Cabo Verdianos etc Todos almoçavam juntos. Os Guineenses auto-marginalizavam-se. Muito estranho.
    Espero que Portugal ponha um ponto final nesta forma de fazer Política,vinda dum Governo não eleito e filho de um Golpe de Estado que já está a incomodar a mentes mais calmas…..
    Aqui fica:
    “Guiné surpreendida com atitude de Portugal!!!
    Presidência do conselho de ministros da Guiné disse ao Expresso que a suspensão dos voos da TAP de Lisboa para Bissau “em nada abona as boas relações” entre os dois países.”
    E eu digo. Apontar armas a uma tripulação de um avião CIVIL para os obrigar a cometer um crime internacional,abona as boas relações?
    Não sei se haverá cães,ainda,na Guiné, ou se já morreram todos de fome,mas se algum houver, já sabem…dêem-lhe um bom banho!!!

    Ler mais: http://expresso.sapo.pt/guine-surpreendida-com-atitude-de-portugal=f845833#ixzz2nGkwZGPI

  • Meu caro MIguel,

    Só disse, ou melhor, escrevi que a história em si parece-me mal contada. Só isso. E outra coisa: nunca ninguém disse que foram apontadas armas a qualquer tripulante… Atenção a esse detalhe que é capaz de ser bem importante neste “novelo2 que cheira-me estar bem emaranhado… A ver vamos, Miguel. Abraço forte,
    ZP

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *