José Paulo Fafe

Um patusco, este arquitecto Saraiva…

QUEM CONHECE esse esteio da opinião publicado chamado José António Saraiva já pouco ou nada se surpreende com o teor de muitos dos seus textos, com especial destaque para aquelas “crónicas do quotidiano” (chamemos-lhe assim) que preenchem duas páginas da revista que integra o jornal de que é simultaneamente mentor, investidor, fundador e director. Semana após semana, o arquitecto Saraiva lá se desdobra em (quase sempre) hilariantes textos – sobre sapatos, varandas, cães, aviões, freeshops, num afã próprio de quem quer certamente rivalizar com o “Inimigo Público” ou coisa do género. Vem isto a propósito da onda de constestação que o seu artigo sobre a homossexualidade  gerou um pouco por todo o lado e que dominou mesmo por horas as chamadas redes sociais. Ao que parece, Saraiva acha que os gays são gays pela perniciosa influência de algumas figuras públicas e também como um “fenómeno contestário”, vulgo acto de revolta. E vai mais longe, revelando mesmo como é que num elevador consegue identificar a orientação sexual dos seus companheiros de subida (ou descida):À minha frente, no elevador, está um rapaz dos seus 16 ou 17 anos. Pelo modo como coloca os pés no chão, cruza as mãos uma sobre a outra e inclina ligeiramente a cabeça, percebo que é gay(…)“. Eu peço imensa desculpa a quem ficou chocado com o artigo do sempre desconcertante Saraiva, mas para quem – como eu – já leu uma entrevista do arquitecto Saraiva onde este defendeu, para si próprio, a atribuição do Nobel de Literatura(!) ou já o ouviu, em pleno “Expresso” nos idos de 84, afirmar alto e bom som que cada dia mais dava razão à sua mãe quando esta lhe dizia que ele possuía perfil e potencial para ser “um excelente Presidente da República”, já nada me espanta. Até porque no fundo, no fundo, o arquitecto é mas é um patusco… 

7 ComentáriosDeixe um comentário

  • “À minha frente, no elevador, está um rapaz dos seus 16 ou 17 anos. Pelo modo como coloca os pés no chão, cruza as mãos uma sobre a outra e inclina ligeiramente a cabeça, percebo que é gay”…. …….”Mas também há gays que se tornam gays – por influência de amigos, por pressão do meio em que se movem (no ambiente da moda isso é claro)………” “…..Ser homossexual, para muitos jovens, é tudo isto. É uma forma de insubmissão. E, está claro, é um desafio aos pais. Se antes os jovens desafiavam os pais tornando-se ‘de esquerda’, hoje desafiam-nos recusando a ‘família burguesa’ e mostrando-lhes que há outras formas de relacionamento e até de constituir família. Aliás, assumir-se como homossexual talvez seja, por muitas razões, o maior desafio que um filho pode fazer aos pais.”

    Caro ZPF
    Não li tudo porque era chato,a forma e o conteúdo,mas tirei estas longas frases pois nunca vi tanto disparate junto em tão poucas sílabas.
    Primeiro quero dizer ao Senhor Saraiva que o que ele viu no elevador não era um “gay”….pois…
    Lamento desiludir.
    O que ele viu foi uma bicha infecta, uma paneleira tipo José Castelo Branco que são arrasados normalmente por heterossexuais e por todo e qualquer gay ou homossexual. São a vergonha da homossexualidade!!!
    A Cinha diria tricha.
    Com essa pose lânguida e feminina era tricha…..
    Podia apresentar ao Senhor Saraiva alguns homossexuais que ele nem que passasse por eles 10 vezes lhe passaria pela cabeça que o fossem.
    Depois diz que há homens que começam a dormir com outros porque lhes dá na cabeça….Assim de repente..Porque os amigos são e é moda. Ora que disparate tão grande. A sexualidade é algo que está em nós. Ou se é uma coisa ou outra ou as duas. Mas porque se nasceu assim. Se de repente começam a dormir com pessoas do mesmo sexo é porque sempre gostaram e quiseram mas tinham reprimido essa atracção. Nunca se muda de gosto sexual.Nunca.
    Nasce-se com o mesmo e morre-se com o mesmo.
    Qualquer Psiquiatra ou Sexólogo pode esclarecer o Senhor Saraiva.
    Basta ver o nosso actual Governo para saber como vai a moda em Portugal. Muito fato e gravata mas os tiques estão lá todos.
    E para terminar, isso de que agora em vez de esquerda é-se gay….para chocar a família, a sociedade..Como essa bicha do elevador que pensava “sou diferente”.Francamente.
    Já parece o “boneco” do Monchique na RTP que pára as bichas na rua e fá-las voltar para casa e mudar de roupa.
    Ser gay não é ser bicha.
    Ser fufa não é ser “sapatão”.
    Ser hetero não é ser violador de mulheres nem andar a coçar os ditos na rua.
    Lembram-se da Guida Scarlatti?
    Um dos Travesti mais famosos dos anos 70 e 80 da noite Lisboeta?
    Era dos Comandos, casado e tinha vários filhos.
    Não se deve escrever sem se saber do que se está a falar!!!!

  • Karocha. É que as pessoas, geralmente o Português, tem a mania de falar do que não sabe.
    E este artigo é como mínimo lamentável. Se fosse no elevador um homem de barba e fato, com uma criança nos braços a chamá-lo Pai, era um macho Ibérico só que se calhar tinha outro igual à espera dele em casa.
    Não pensou Saraiva que se o José Castelo Branco fez um filho, qualquer ser com uma pila pode fazer e quem lhe disse a esse Senhor que a lânguida tricha que ia com ele não está casado com uma mulher e tem 5 filhos?
    Não sabe o Arquitecto que no Reino Unido, por exemplo, existem Clubes privados de travestis que se vestem a rigor com perucas, jóias, vestidos e nem sequer são homossexuais? Vão com as respectivas mulheres jantar assim vestidos por fetiche?
    Uma boa amiga disse-me uma vez que adorava ir aos Bares de Gays porque engatava sempre um homem, veja lá.
    O alegado assassino de Carlos Castro também é um grande macho que teve várias namoradas e elas atestaram a sua virilidade…E?
    Temos que ter muito cuidado com o estereotipar tudo o que vemos porque na vida, como a Karocha bem sabe, nada do que parece ser é!!!

  • Amigo ZP
    Já agora fica aqui uma ideia que não dá trabalho algum. É sentar em frente a um televisor e ficar atento.
    Venho por este meio pedir ao nosso PM que veja, por favor, a
    “Grande Reportagem” na SIC este Domingo.
    Certamente terá vergonha do que está a deixar acontecer nas nossas Universidades e não tenho dúvida alguma que desviará as rendas milionárias da EDP para as Universidades Portuguesas.
    Os alunos podem assim ter as bolsas que sempre tiveram e o País agradece. É dinheiro que fica cá e não vai parar à China ou a Angola.
    Pode sempre ver em diferido no caso deste pedido ser publicado mais tarde. Não há problema algum.
    Muito obrigado

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *