José Paulo Fafe

Um desabafo à volta de Vinicius de Moraes

O BAR chamava-se “Vinicius”. Pôrra, isso não é nome de bar, é de poeta – no caso de “poetinha”. Caí lá por duas razões: a primeira porque um cartaz anunciava Maria Creuza, a outra porque estava a dois passos de casa. O Rio para mim tem destas coisas, é um permanente apelo à nostalgia, aquilo que não chegámos a viver (mas temos pena…), uma cidade que já não existe, mas que estranhamente essa mesma nostalgia conserva (quase) incólume. Há coisa de vinte anos, tinha tido a mesma sensação. Quando, vindo de Buenos Aires, num almoço no “Antiquaris”, meu Pai me perguntou: “Queres ir ver hoje à noite o Carlos Lyra?”. Eu sabia lá quem era o Carlos Lyra, nem imaginava que o “Lyra” era com ipslon, quanto mais… Mas, “claro que sim, adorava!“. Fui. Tem vinte ou mais anos e ainda hoje não esqueço. Foi porventura dos momentos mais fantásticos que vivi na minha vida. Passei a saber quem era o Carlinhos Lyra (reparem na intimidade, já…), percebi que a bossa nova passava por ele e aquelas três horas a ouvi-lo no já desaparecido “Un, deux, trois” – a ele, às suas músicas, ao seu violão e às suas estórias – ainda hoje as recordo e sinto como algo de único. 
Hoje também estava no “Antiquarius”. Desta vez sozinho. Saí e vim a pé, calçadão fora, do Leblon a Ipanema. Dois ou três quilómetros. Na Vieira Souto, virei à esquerda para a  Vinicius de Moraes e preparava-me para ir para casa. No cruzamento com a Prudente de Moraes, na esquina fronteira ao “Garota de Ipanema” (eles juram que foi lá que o “poetinha” viu e se inpirou na Helô Pinheiro…) vi um cartaz anunciando; “Maria Creuza. Couvert artístico. Hoje, às 23 horas”. Não resisti, apesar do sono e do “amanhã”… Subi as escadas e entrei num verdadeiro “antro”. Sujo, escuro, iluminado de quando em vez pelo reflexo da luz do semáforo à altura das janelas do primeiro andar, a cheirar (desculpem lá…) a mijo. Decadente? Claro! Deprimente? Sem dúvida! Mas – confessso! – algo sedutor, se calhar por essa mesma apelativa decadência. Nas mesas, turistas ou umas senhoras com idade para terem sido candidatas a “paqueras” do poeta, acentuavam ainda mais os tons de um ambiente delabrée, passado, exaurido. A garrafa de “Red Label” assentou rapidamente na mesa, o balde de gelo idem aspas e, no pequeno palco, a presença dos músicos insinuava a pronta presença de Maria Creuza. E lá veio ela. Pesada, velha, “aturistada”, a invocar um estatuto (que lhe pertence, honra lhe seja feita!) de “cantora de Vinicius” e a cantar, apesar dos anos, do peso e do que nos custa recordar tudo isso, o “poetinha” com uma vontade e alma só possível para quem sente e tem memória. Não cantou muito. Falou q.b. De Vinicius, das tournés, das canções que ele compôs. E chegou. Para sentirmos a nostalgia que faz Ipanema ser, de alguma maneira, o nosso bairro, Vinicius o nosso poeta e o passado (que não vivemos, diga-se em abono da verdade…) o nosso presente. Estranho. Mas bonito!

2 ComentáriosDeixe um comentário

  • Amigo ZPF
    Como te invejo….
    Ia desabafar de outros temas mas depois de ler tudo isto nem me atrevo a “emporcar” este meu comentário.
    Tudo isso cheirou-me a “Fado”.
    Parecias o Eça pois eu estava mesmo a ver por onde andaste e onde foste parar…O Rio é distinto e eu tenho muitas saudades de rever tudo.
    Aproveita-o!

  • Amigo ZPF
    Um desabafo à volta doutro “Fado”.
    O nosso.
    O “portuga”.
    Hoje ouvi mais uma vez Jerónimo de Sousa e não pude deixar de rir às gargalhadas.
    Dizia o Líder do Partido mais reaccionário e ditatorial sanguinário jamais visto em Portugal que este Governo estava a “dar cabo do povo e das liberdades”.
    Que este Governo é um embuste e vai por um caminho de destruição total do sistema democrático português, é notório, mas que o Líder dum Partido Comunista fale em “Liberdade” é como mínimo caricato.
    Eu aconselharia a Jerónimo e aos seus amados adeptos a ler as estatísticas do número de mortos e torturados nos regimes que eles apoiam,que seguem a sua ideologia,por se oporem à ditadura e opressão sanguinária dos mesmos.
    Nunca desde 1917 houve UMA ÚNICA greve na URSS até ao seu desaparecimento. Nunca UMA ÚNICA vez se ouviu a palavra liberdade nas ruas das cidades e Países invadidos e oprimidos pelo Comunismo.
    Milhões de cidadãos Russos e de todos os Países invadidos pelos Sovietes fazendo obrigatoriamente parte da “Cortina de Ferro” foram torturados e assassinados às mãos dos Comunistas precisamente por quererem ser LIVRES.
    Francamente Jerónimo.
    Fale do que o Senhor quiser, do seu apoio a Cuba, a Angola, à China e à Coreia Comunista, mas não de LIBERDADE!
    Swaps….3.000 milhões de euros lesando o Estado,nós.
    Quem paga?O Governo?
    Quem fez os contractos?Não.
    Quem paga somos nós.
    Dizem que já conseguiram renovar e anular alguns contractos e pouparam 1.400 milhões.
    E os restantes 1.600 milhões?
    Mais cortes nas pensões de 400 euros?
    Mais pobreza para pagar as negociatas dos políticos?
    Só neste Orçamento “novo” estão lá 400 milhões para pagar os Swaps.
    Alguêm na televisão dizia ser um escândalo nacional.Pois é.
    Falam em afastar quem esteve no meio dos “negócios”…
    “Afastar”?
    Porque não vão parar à cadeia?
    Não são por acaso criminosos como os outros?
    Não está Oliveira e Costa na cadeia?Duarte Lima?O Presidente da Câmara de Oeiras?Qual é a diferença entre eles e estes corruptos criminosos?
    E os Banqueiros envolvidos no crime? Não vão parar à cadeia?
    Porque raio Passos Coelho não é tão forte e inquebrável na luta à corrupção como é em tirar dinheiro aos velhinhos de reformas de 200 e 300 euros por mês?
    Porque não para de uma vez de pagar à EDP umas rendas que depois são divididas com os accionistas Chineses como se de lucros se tratassem?
    Porque não anula os contractos da PPP’s que nos lesam e arruínam?
    Porquê???????
    Pinto da Costa/Vieira…
    Um Campeonato/3 finais,uma delas Vice Campeões na Europa
    6 milhões de euros negativos no Porto em 2013/ 7 milhões de lucro na Luz
    E deixa-me ir a Moscovo, Capital da hipocrisia, da ditadura descarada, da opressão extremista.
    Putin hoje disse que vai acabar com o fumo ( fumar ) em todos os espaços públicos na Rússia para salvaguardar a saúde do povo.
    No mesmo dia vendeu a Bashar Hafez al-Assad,(o louco Presidente Sírio que extermina o seu povo, dia pós dia, com a bênção da UE e das Nações Unidas que assistem de camarote e aplaudem )uns charutos enormes,os mísseis para assassinarem mais uns milhares de Sírios……Serão Cubanos?
    Ou Coreanos?
    Que pensará Jerónimo de tudo isto?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *