José Paulo Fafe

Sobre o tal sr. Morais, outro que fala, fala e não diz nada…

A PROPÓSITO de mais um “número” protagonizado pelo inefável Paulo Morais, não resisto a transcrever algumas linhas que escrevi sobre esse mesmo sujeito há cerca de ano e meio, mais concretamente a 9 de Setembro de 2013:
Já aqui escrevi e repito: causa-me alguma irritação ver, surgidos do nada, sabe-se lá investidos em que legitimidade, um sem-número de criaturas que pregam a ética e a moral, quais profetas do bem e que se julgam donos e senhores da verdade e da razão. Refiro-me a uns quantos que ultimamente, certamente à falta de “emprego” ou de ocupação mais rentável, pelam-se para falar de cátedra, do alto de uma importância que só eles reconhecem e tendo-se a si próprios em grande conta, vivendo nestes períodos pré-eleitorais, em permanente tournée estival à imagem e semelhança de um qualquer cantor pimba ou de um ou outro “kinito” da vida. São gente que fala, fala e… nada diz – a não ser um chorrilho de lugares comuns, com um ar e ênfase de tratarem-se das coisas mais importantes e quase sempre encantando plateias sequiosas de escutar de forma mais erudita as típicas conversas de paragem de autocarro.

Vem tudo isto a propósito de um tal Paulo Morais, expoente máximo de um certo trauliteirismo nacional e que raro é o dia em que não surge como líder de um fascizante “justicialismo” lançando suspeições, indirectas e aleivosidades sobre tudo e todos, contribuindo à sua maneira para desacreditar um regime que, pese todos os defeitos, ainda possui mecanismos suficientes para afastar quem lhe é nocivo e quem o põe em causa(…).

2 ComentáriosDeixe um comentário

  • Caro Sr., até posso concordar consigo quanto à forma mas não posso concordar com o seguinte conteúdo:
    “um regime que, pese todos os defeitos, ainda possui mecanismos suficientes para afastar quem lhe é nocivo e quem o põe em causa”. Estão à vista de todos dezenas de casos de corrupção e de negociatas envolvendo quem tem o poder para os fazer e nada acontece. Por exemplo, imagino que seguramente o Sr. não foi um dos milhares de lesados pela recente “encenação” do BES em que há quem tivesse literalmente perdido as poupanças de uma vida de trabalho (eu não felizmente!) e que agora sabe e conhece toda a podridão que já muitos responsáveis deste País sabiam antes (eu por acaso também sabia!)! É muito estranho a quantidade de casos de amnésia que têm aparecido ultimamente! Enfim… sou um simples cidadão que tem dois filhos e que pretende que o futuro seja risonho para eles e todos nós! Respeitosos cumprimentos!

  • Não querendo contrária-lo e entendendo alguns dos seus argumentos, não posso deixar de reafirmar que o regime, pese todos os seus defeitos, funciona. Melhor ou pior, mas funciona. E podia aqui citar vários exemplos, mas abstenho-me de fazê-lo para não ferir susceptibilidades de quem possa ser próximo de ou um outro político, que or uma razão ou outra, esteve ou está a contas com a justiça…
    Cumprimentos,
    ZP

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *