José Paulo Fafe

Quem te manda a ti sapateiro tocar rabecão…


CADA UM tem a opinião que tem. Maria João Avillez tem a dela. Escutei-a ontem, por momentos, no “Expresso da Meia-Noite”. E confirmei o que penso cada vez que a oiço neste papel de analista: apesar de tudo preferia-a mil vezes enquanto jornalista do que pretensamente como comentadora política. É a minha opinião.

6 ComentáriosDeixe um comentário

  • Eu com toda a sinceridade preferia não vê-la nunca. Sempre foi um capacho dos que estão no poder até lhe cheirar que vão cair e roda logo 360º.

    A unica coisa que ela tem de jeito é o marido Van zeller, ainda estou para saber porque ele aguenta esta pernóstica, mal educada, sempre a interromper o debate e a falar aos mesmo tempo que os outros. Fazia um debate na RTP moderado por um tal Daniel do Futebol que era uma algazarra. Refilei tanto que a mandaram embora.

  • Como comentarista tem só um defeito: ignorância. Plagia os “confrades” a todo o tempo e só é original quando o tema é a coscuvilhice.
    Nesta última aparição a senhora descobriu que resiliência é termo de que não gosta optando antes por resistência! Abençoada! Lembra-me sempre o Abrunhosa que canta zero e ganha a vida a cantar!

  • É uma tonta que se leva a sério e que por ter sido em tempos a “anfitriã do regime” (como lhe chamou Vítor da Cunha Rego) ganhou o espaço que lhe permite de vez em quando aparecer a dar bitaites sobre o que não sabe. Vive da coscuvilhice, dos recados e dos fretes que vai fazendo conforme lhe pedem. Já o fez a Sá Carneiro, a Balsemão, a Marcelo, a Soares, a Santana (de quem foi empregada), a Cavaco, a Durão, a quem calha. É a imagem deste país, ou melhor desta choldra onde sobrevivemos…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *