José Paulo Fafe

Pedro Santana Lopes


NO DIA em que o Fado foi considerado pela Unesco como “património imaterial da Humanidade” e quando certamente vai andar por aí muito boa gente a pôr-se em bicos de pé e a desdobrar-se em entrevistas, convém recordar quem foi o “pai” deste processo – Pedro Santana Lopes. Que ainda hoje, numas curta e despretensiosa declaração à Rádio Renascença, recordava que a ideia tinha partido de MIguel Almeida (seu antigo chefe de gabinete na Câmara Municipal de Lisboa) e de Sara Pereira (directora do Museu do Fado) e que posteriormente Mariza e Carlos do Carmo tinham sido convidados por ele a serem os “embaixadores” deste projecto. 

4 ComentáriosDeixe um comentário

  • E por “culpa” de Pedro Santana Lopes hoje o Fado foi considerado Património da Humanidade…
    Muitos fomos encantados por “ele” e até o cantamos.
    Outros, como esta Senhora de talento invulgar ,se o Pedro é indiscutivelmente o Pai há mães por aí, não só cantou os dos outros como compôs, o que não é para todos.
    Sonho de Incerteza, Árvores do Alentejo, Canção Grata e Amar, por exemplo, são de sua autoria. O génio de pegar em poetas e musicá-los….
    Teresa Silva Carvalho é das grandes Fadistas/Compositoras às vezes esquecida pelos que cantam os seus Fados (muitos gravaram coisas dela, Carlos do Carmo, Cidália Moreira… eu mesmo) e pelos que se dizem amantes do Fado……….
    Aqui fica a mesma num Fado lindo: http://www.youtube.com/watch?v=PENLsh0EK2s&feature=youtu.be
    Obrigado Teresa pelo que fez pelo Fado!!!

  • Tens tanta razão JPF este nosso amigo tem o péssimo hábito de dar “boleia” a todo o bicho careta que encontra na berma da estrada!
    Há gente que só sabe mesmo andar à “boleia”, e quando estão ao volante o carro não lhes pertence.
    No final, nem lhe agradecem, outra vezes até o assaltam!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *