José Paulo Fafe

Para o PSD… directamente de além-mar!

O PSD recrutou um antigo jornalista brasileiro – Marcos Martinelli – como consultor de marketing político para a próxima campanha eleitoral. Natural de Rio Grande do Sul, Martinelli é basicamente um jornalista, tendo sido secretário (vereador) de Comunicação da pequena povoação de Canoas até 2009. A sua última experiência profissional na área do marketing político conhecida ocorreu no Ceará, quando coordenou a par de Toninho Costa Neto (um destacado e conceituado consultor brasileiro radicado em Miami), as campanhas de Marcos Cal e Tasso Jereissati (um dos principais sócios da PT na sua nova operação brasileira), respectivamente aos cargos de governador e senador por aquele estado nordestino. Uma experiência algo atribulada e que culminou com o seu afastamento um mês e meio antes das eleições, com algumas recriminações públicas entre ambos quanto à forma como as campanhas estavam a ser dirigidas. Para que se possa conhecer um pouco melhor quem é que o partido de Passos Coelho e Relvas foi buscar além-mar aqui ficam algumas das suas respostas a um questionário com que o próprio se apresenta na internet:

O que mais gosto de mim: O fio do bigode, mesmo que esteja branqueando. Combinou? Tá cumprido! Sou insuportável quando: Alguém não entrega tarefa negociada, checada, rechecada…Fico tiririca: Quando tentam me tirar por babaca, quando mentem e acreditam que posso cair na estória… Esporte que gostaria de fazer: Aqueles aviõezinhos da Red Bull…(…)– Uma noite de amor inesquecível: A próxima, daqui a pouco…– Vi pela primeira vez pelado(a): Meu pai.– Um país, fora o Brasil: Inglaterra. (…) O pior livro que li: Quando não gosto, paro de ler. O melhor: Os Sertões, de Euclides da Cunha. Parece que estamos ao lado dele naquele Vietnam verde-amarelo que foi Canudos.(…) Três brasileiros nota 10: 10 mesmo? Xi…Só minha mãe e duas tias que ajudaram a me criar: a tia Amália e Faustina (esta, já me esperando do “outro lado”) Três atores/atrizes nota 10: Sean Connery, Meryl Streep, Rodrigo Santoro.(…) Não fiz e me arrependo: Eu erro por ação e, não, omissão. Não me arrependo de nenhum erro. Aprendi com cada um deles. E continuo aprendendo. O que não fiz – e não me arrependo mesmo tendo certeza de que teria uma vida “melhor” – é ter puxado o saco de alguém. Tenho coluna vertebral definida… Ainda vou fazer: Saltar de pára-quedas e mergulhar de cilindro, de novo. Sou feliz: Porque estou vivo, ando de cabeça erguida, sou cercado de amigos e família de fundamento. E tenho consciência da importância e efemeridade disto…Uma grande frase/ditado: Não tá morto quem peleia!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *