José Paulo Fafe

A palavra ao advogado (de Sócrates)

Este caso (Freeport) começou com uma manipulação política que envolveu jornalistas, asssessores políticos e membros da PJ. Houve uma conspiração. (…) Do que se conhece da investigação (…) não há elementos de prova que justifiquem a existência de qualquer suspeito ou arguido. Só há insinuações e factos desgarrados que são conjugados para dar uma aparência de ilicitude.”
Proença de Carvalho, “Diário Económico”, 31.12.09

3 ComentáriosDeixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *