José Paulo Fafe

O vexame norte-americano a Rui Machete


ATRAVÉS DE um antigo embaixador em Lisboa (1990-93), as autoridades norte-americanas enviaram hoje um aviso público ao ministro Rui Machete, outrora presidente da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento (FLAD). O mesmo Everett Briggs que em Abril de 1992, à frente da embaixada norte-americana em Lisboa, acusou o então presidente da FLAD de manter “ligações pouco transparentes” com empresas de Washington e também de gastar à tripa-fôrra, teve hoje oportunidade de, numa oportuna entrevista ao jornal “i”, deixar um recado claro ao actual ministro dos Negócios Estrangeiros: “Ele que se aproxime dos EUA, até porque geneticamente temos a memória curta“. Ou seja, trocando por miúdos: porta-te bem, não saias da linha, que nós até somos homens para nos esquecer dos BMW’s, dos motoristas e da arte francesa… – assim, sem tirar nem pôr!
No lugar de Machete, qualquer um sentir-se-ia vexado por estas declarações do antigo diplomata norte-americano. Qualquer um que não Machete, porque esse – sonso como é – já nos habituou em não se mostrar incomodado com estas “insignificâncias” e preferir assobiar para o lado: foi assim que se comportou quando veio a público a “coincidência” de ter aceite a presidência do Conselho Superior do BPN a seguir a ter presidido à comissão parlamentar de inquérito que ilibou Oliveira Costa; ou de  ter comprado acções desse banco a metade do preço que pagou a FLAD. 

2 ComentáriosDeixe um comentário

  • Amigo ZPF
    Dizemos com frequência que a esperteza é coisa que fica mal ao ser humano…Pois eu acho que não.
    Se a chamarmos de outra maneira, inteligência emocional ou algo parecido, soa bem e já é aceitável.
    Um ser inteligente sem esperteza alguma torna-se cinzento,quadrado,inflexível,só portanto.
    O último discurso de Passos lá no reino dos algarves mostrou mais uma vez um ser desses….Cinzento, só na sua visão quadrada do País, nada esperto.
    Nem as notícias sobre a devastada economia que parece ter ficado menos doente, se bem que ainda em cuidados intensivos, Coelho aproveitou.
    Pior, frisou bem que a crise está ainda no seu melhor, desmoralizando quem tinha ficado com alguma esperança.
    Muito pior, os empresários estrangeiros ouvem como paredes tudo o que cá se diz.
    Mas para pensar tudo isso é-se necessário ser esperto, raposa mesmo, como Portas, coisa que Passos fica muito alêm de o ser.
    Ora tudo isto para dizer que só um PM MUITO POUCO ESPERTO, convidaria um Rui Machete precisamente para a pasta que Portas deixara mesmo que imposto por Cavaco.
    Quando a inteligência é plana, mesmo que alta ( não é o caso ) a falta de uma dose de esperteza é fatal a qualquer político.
    Sócrates por exemplo foi esperto.
    Muito mais que Cavaco,lógico.
    Nada, mas mesmo nada inteligente, conseguiu tudo o que queria até agora, incluso enriquecer desmesuradamente e não ir parar à cadeia.
    E quando a maré sobe…quem paga é sempre o mexilhão.
    Impostos ao rubro, ordenados cortados, pensões já por si miseráveis e dignas de um País do 5ªmundo ainda mais ratadas, pobreza,fome,abandono escolar, desemprego como nunca se viu e uma economia moribunda.
    Os de sempre cada vez mais ricos.
    As empresas grandes com os mesmos subsídios e perdões fiscais que nós pagamos com sangue.
    Os políticos a mamarem até secarem as tetas do povo.
    Um vergonha que não acabará jamais!

  • Mais um para juntar ás minhas colagens de “OS HOMENS DE OLHOS OCOS E VAZIOS, LÁBIOS FINOS E DESCAÍDOS. COM RICTUS SATÂNICO” Nós falamos e falamos mas não fazemos nada. O Maduro autêntico Cantinflas, nem falar sabe, mas como diz que é Académico e o Alforreca licenciou-se na Lusíada, tendo como Professoras as Amazonas Maria Luís Albuquerque e a vigara Teresa Leal Coelho ajudante do Vale e Azevedo no Benfica, fica deslumbrado com os académicos. Mas pelo menos 2 já foram bota fora o Gaspar e o Álvaro. Agora é a vez do Maduro e do Tombas. QUE PAR DE ASNOS. Quantos créditos terão dado as amazonas ao ALFORRECA?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *