José Paulo Fafe

O “professor ziguezagues”


O PROFESSOR Freitas do Amaral é uma daquelas pessoas que se leva – a ele próprio – em elevada (e excessiva) consideração. Tem-se em grande conta, supõe-se um génio, alguém que é indispensável a uma Pátria que sempre que teve oportunidade de pronunciar-se sobre a sua pessoa, lhe “deu com os pés”. Apesar do País pouco se importar com o que esta verdadeira “enguia” do cenário político nacional (tais os ziguezagues que já protagonizou, desde uma triste, trauliteira e frustrada candidatura presidencial até a sair à rua encabeçando manifestações “anti-imperialistas” de braço dado com os Louçãs da vida – já para não falar da sua “fase socialista”, quando integrou o governo de José Sócrates como ministro dos Negócios Estrangeiros…), sempre que pode, a criatura lá tenta colocar-se em bicos de pés e, aos pulinhos, fazer “prova de vida” – não vá ser que o tenham esquecido. Ontem ou anteontem, lá apareceu a dar  mais uma entrevista recheada de lugares comuns e revelando uma sede de protagonismo que – coitado… – só confirma a pobreza de espírito que sempre o caracterizou. Triste, para não dizer outra coisa…

2 ComentáriosDeixe um comentário

  • Este é um país doente!
    A alta nobreza conspirou contra a monarquia, acabando por estar envolvida na morte do Rei, do Chefe da Nação e do seu Filho, permitiu a implantação da republica de forma atabalhoada, sempre se vergou de forma interessada ao longo dos anos consumindo, aliás devorando os recursos do país. Ainda há bem pouco tempo atiraram-nos para os braços do socialismo, e foi o que o que se viu. Gostava de ouvir desses auto-proclamados pais da pátria Jorge Sampaio, Freitas do Amaral, e Mário Soares, com soluções em vez de bolsarem infantilidades e provocações.
    As novas gerações querem o país na ordem não querem esta gente que se serviu do país que abusou e prevaricou, do bom povo português!
    Não tenham medo pois este tipo de políticos terá os dias contados a escola de habilidosos e demagogos como Antonios Costas, está acabar.

  • O outro que diz que a mãe o sustenta em Paris, amigo ZPF, também andou nas Juventudes Sociais Democratas e o Pai era até um alto dirigente do PPD-PSD na Covilhã. Depois e como viu que não lhe davam atenção, foi mais para a esquerda e até esteve em listas de eleições locais no PS contra as listas do mesmíssimo Pai do PPD.Dizem que chorou muito a sua morte recentemente….
    Quando as pessoas querem poder, não importa a ideologia. Vejamos os “primíssimos” Louçã e Gaspar. Primos-direitos e no entanto cada um fez vida em sítios distintos. Os manos Portas igual. Por falar em Portas, tenho saudades do Miguel. Era recto e correcto. Pena ter ficado num Partido tão descabido e com ideologia tão passada como ditatorial….

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *