José Paulo Fafe

O post-scriptum do arquitecto

O POST-SCRIPTUM de José António Saraiva no seu último artigo no “Sol” deve ser lido com muita, mas mesmo muita, atenção. Até porque tudo indica que o arquitecto sabe bem do que fala – neste caso do que escreve. Aqui vai para quem não o leu… O PGR, Pinto Monteiro, teve há semanas um desabafo que um jornal transformou em manchete onde dizia mais ou menos isto: ‘Se for necessário para acalmar os ânimos, eu divulgo as escutas todas do 1.º-ministro’. Ora essa divulgação é impossível, como o PGR sabe, por uma razão inultrapassável: as conversas contêm linguagem imprópria, com insultos e referências desprimorosas a figuras públicas, pelo que não podem ser divulgadas. Se isso acontecesse, Sócrates seria forçado a renunciar – ou o PR teria de o demitir.”

1 comentárioDeixe um comentário

  • Eu também li esse artido do arquitecto.
    E é evidente uma coisa:
    Ele conhece o teor das escutas.
    Como outras pessoas conhecem e como todos os portugueses conhecerão um destes dias.
    Porque não acredito que elas deixem de ser publicadas.
    Basta que um jornal perceba que um concorrente o vai fazer para tomar a dianteira.
    As escutas são,pois,uma verdadeira bomba relógio nas mãos de Sócrates.
    Azar o dele.
    Pode ser que seja a nossa sorte!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *