José Paulo Fafe

O “backup” de Portas…


LEMBRO-ME DE ter lido em 2005 (salvo erro no “Diário de Notícias”) uma notícia que garantia que Paulo Portas, antes de abandonar o Ministério da Defesa,  teria mandado microfilmar todos os documentos referentes à sua passagem por aquela pasta. Apesar disso envolver alguma (para não dizer muita…) polémica, dada a “classificação” de muitos desses documentos, não recordo alguma vez ter visto algum desmentido dessa notícia – pelo que acredito que assim tenha ocorrido e que Portas tenha mesmo microfilmado a papelada em causa. Deste modo podemos estar todos descansados relativamente à recente descoberta que terá desaparecido documentação referente à negociação, durante o seu “consulado”, para a aquisição dos famigerados submarinos. Desapareceu do Ministério da Defesa? Peçam a Portas, que ele é capaz de ter o backup … 

6 ComentáriosDeixe um comentário

  • Senhor Dr.
    Já agora podíamos perguntar a Pereira da Costa que foi “seu” secretário de Estado e é do PSD. Ele deve saber bem o que se disse e fez nessa época.
    Obrigado

  • Caro Senhor,
    Que eu me lembre, foi ao dr. Portas que foi atribuída a suposta microfilmagem, não a qualquer dos seus secretários de Estado… Mas pronto, aqui fica a sua obsevação.
    Melhores cumprimentos,
    José Paulo Fafe

  • O dr. Portas é exímio em tentar passar por entre os pingos da chuva. Foi assim no “caso Moderna” (e aí o sr. Fafe também não será propriamente inocente…), foi em diversos casos de cariz mais pessoal, foi nos submarinos e outros assuntos menos claros aquando da sua passagem pela Defesa Nacional… Por isso é uma marionete, ora servindo Guterrres (será que o dr.. Jorge Coelho nunca escreverá as suas memórias?), ora mandando empregar, através de administradores do seu partido, investigadores do MP e da PJ em empresas públicas, piscando o olho a Sócrates e agora sendo criado do regime de José Eduardo a quem ainda há bem pouco tempo apelidava de “bando de ladrões”. Mas há muito dossiê por aí nas mãos de muita gente que assim põe e dispõe de alguém que ocupa um lugar importante na hierarquia do executivo e é cada vez mais vulnerável. Este casondesaparecimentoda documentação dos submarinos é um escândalo, tanto mais que na Alemanha já se encontram presas 2 pessoas acusadas de ser os corruptores. Ora se há corruptores, há corrompidos… Não é?

    António Pires
    Belém

  • Estimado Sr. Antonio Pires,

    Independentemente do dr. Paulo Portas ser, ou não, “exímio” em livrar-se de algumas alhadas em que alegadamente se tenha envolvido, não quero deixar passar em claro a referencia que me faz relativamente ao chamado “caso Moderna”. É que quando afirma (com reticências e tudo) que eu não sou “propriamente inocente” nesse processo isso poderá induzir alguém menos bem-informado que eu tenha sido condenado, argüido ou coisa do género no caso. Mas não, fui apenas testemunha – aliás suponho como o próprio dr. Portas. A única diferença é que eu nunca fui destinatário de qualquer carta-aberta escrita, “com a alma em sangue”, pelo dr. José Braga Gonçalves, amigo aliás que, durante mais de quatro anos, visitei semanalmente na prisão. Ao contrario do dr. Portas, diga-se em abono da verdade, que nun lá pôs os pés…
    Cumprimentos,
    José Paulo Fafe

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *