José Paulo Fafe

Não havia necessidade…


VI, PORQUE me chamaram a atenção para tal, a prestação televisiva de Mário Crespo ontem no “Jornal das 9” da SIC Notícias frente à ministra Assunção Cristas. Chamo-lhe “prestação televisiva” porque recuso-me a considerar que naqueles vinte e tal minutos de televisão, Crespo tivesse ali desempenhado o papel de jornalista. Acredito que possa existir quem goste do estilo – eu não. Até porque o que ali me foi dado assistir não foi sequer um exemplo de “jornalismo militante”, foi – isso sim – um mero exercício demagógico, de um exibicionismo desnecessário, pífio e até contraproducente por parte de quem possui um percurso e experiência profissionais que deveriam ser suficientes para, ele próprio, se poupar a um espectáculo que roçou a fronteira do ridículo. Mais: ontem à noite, Mário Crespo prestou um excelente serviço a Assunção Cristas, ao CDS e a este governo. Quer ele o tenha querido ou não…

5 ComentáriosDeixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *