José Paulo Fafe

Não fizeram mais que a sua obrigação…


PEÇO IMENSA desculpa, mas ao derrotar a Suécia e ao qualificar-se para o Mundial do Brasil, acho que a selecção portuguesa não fez mais que a sua obrigação. E ainda por cima, tarde e a más-horas, já que o grupo que integrava era mais do que acessível e só um facilitismo que muitas vezes se confundiu com mediocridade não permitiu ficar à frente de selecções como as do Azerbeijão, Irlanda do Norte, Israel, Luxemburgo ou mesmo Rússia… Vamos ser francos: tirando os inevitáveis Cristiano RonaldoJoão Moutinho e pontualmente um ou outro jogador, a selecção portuguesa é constituída por um grupo de jogadores vulgares (quando não mesmo medíocres…), comandados por um seleccionador sofrível que do seu antecessor Luis Filipe Scolari apenas “herdou” uma teimosia que o seu parco currículo ainda não lhe permite apresentar propriamente como “virtude”. Não fosse a chamada “equipa de todos nós” tudo isso e hoje certamente a Suécia teria enfrentado uma outra selecção…

2 ComentáriosDeixe um comentário

  • Amigo ZPF
    Não peças desculpa pois tens muita razão.
    Este jogo foi realmente intenso e admito que vibrei com os golos do puto arrogante. Pareceu-me até que o está menos.Talvez a idade lhe tenha ensinado que o dinheiro é algo que não se leva para o Cemitério nem fica na memória das pessoas que cá ficam,mas sim a forma de ser. On veras.
    Dito isto tens como disse razão.
    É tudo muito amador e à última da hora,sempre.
    Bento cheio de “portuga de boa vontade” e teimoso como uma mula estúpida.
    Mas cada um tem as suas limitações.A culpa não é dele,é de quem o lá meteu…
    “Desenrasca”,como dizia a minha Tia-Avó com aquela voz grave dos 60 cigarros por dia que fumava desde 1920…..
    Hoje a Selecção desenrascou.

  • Amigo ZPF
    Obrigação…..Obrigações.
    Hoje ouvi o Ministro da Administração Interna na televisão,lembrando Rui Patrício, a dizer que num Estado de Direito há regras a ser cumpridas e limites que não podem ser ultrapassados.
    Não faço a mínima ideia de que “Estado” fala Sua Excelência mas se por acaso se referia a Portugal venho recordar ao Excelentíssimo que essa regras começam por ter que ser cumpridas pelo Governo de que faz parte e os limites não podem ser ultrapassados nem pela AR nem muito menos pelos membros do mesmo Governo.
    Como tenho vindo mês trás mês a verificar que nem uma coisa nem outra é respeitada visto a Constituição Portuguesa ter vindo constantemente a ser ignorada com desplante com arrogância altamente chocante, não entendo onde existe moral alguma, e digo-o sem ironia e eu sim com sentido de Estado, para relembrar seja o que fôr ao povo que está visado pelas gravíssimas faltas de respeito da parte do Governo ao máximo documento da Nação.
    Como disse um dos Polícias na televisão “para a próxima vez vimos com o Exército”.
    Nesse dia eu quero ver que vai dizer Sua Excelência dentro dum “V-200” como esteve Marcelo Caetano para não ser linchado.
    Não brinquem com a democracia nem muito menos à democracia.Pode-lhes ser muito complicado lidar depois com uma Ditadura verdadeira.
    Em 10 ninguêm poderia imaginar que em 26 se estaria a engendrar outra loucura ainda maior.
    Na aula magna ouvi loucos mas tambêm ouvi gente que nunca dormiu.
    Não subestimem homens que levam armas no bolso.
    Cuidado com as palavras e as acções.
    Cuidado com a arrogância sem poder para a ter.
    Cuidado com os ares sérios se não os podem dar.
    Cuidado com a passividade exagerada dum povo massacrado.A vingança é muito mais violenta que a doutro mais activo.
    Cuidado com o ignorar a inteligência do outro.Sou o faz quem carece da mesma.
    Muito cuidado…..

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *