José Paulo Fafe

Mudam-se os tempos…

O SELECCIONADOR nacional de futebol Carlos Queiroz mostrou-se muito surpreendido pela polémica que está a ser gerada em redor de uma hipotética chamada do brasileiro (agora naturalizado português) Liedson à equipa nacional. Curioso, especialmente vindo quem vem – exactamento de quem, quando treinador do Sporting, rejeitou liminarmente a hipótese de analisar a contratação de um jogador júnior, curiosamente irmão do então jogador leonino Roberto Assis, com o argumento do miúdo ser brasileiro. Ah, é verdade… o rejeitado chamava-se (e chama-se) Ronaldinho Gaúcho!

2 ComentáriosDeixe um comentário

  • Então, o amigo ainda não conhece o
    “Teórico-da-Teoria-Teórica”?, hein?
    Todavia, como SPORTINGUISTA que sou, fico apreensivo com a chamada do Liedson.
    É que, as “injecções” tácticas e os vídios mais as palestras do “Teórico-da-Teoria-Teórica” são tão maçadoras, tão chatas, tão…
    que o Liedson “acaba”, num instantinho, para o SPORTING e, pior…
    para o futebol!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *