José Paulo Fafe

MNE: Portas continua “a esticar a corda”


MESMO TENDO deixado de ser ministro dos Negócios Estrangeiros desde finais de Julho, Paulo Portas continua a insistir em relacionar-se directamente com as várias embaixadas portuguesas espalhadas pelo mundo com um à-vontade que está a colocar o actual ministro em maus lençóis. Sem atender a qualquer regra ou tradição, Portas insiste, desde o seu gabinete nas Laranjeiras, em transmitir directivas aos embaixadores portugueses espalhados pelo mundo sem passar “cavaco” ao Ministério dos Negócios Estrangeiros (algo que nem o gabinete do primeiro-ministro faz…) e chega mesmo  em conversas mantidas com representantes estrangeiros ou diplomatas portugueses a ignorar ou desvalorizar o seu sucessor nas Necessidades, continuando a alardear um comportamento de ministro dos Negócios Estrangeiros  “de facto”. Essa postura de Portas começa a criar um crescente mau-estar no governo. Não propriamente nas Necessidades onde Rui Machete continua pura e simplesmente a ver navios e onde o seu chefe de gabinete é homem de confiança de Paulo Portas e  foi “herdado” da sua equipa, mas sim na residência oficial do primeiro-ministro onde os sucessivos relatos de vários embaixadores portugueses têm encontrado eco em Francisco Ribeiro de Menezes, o diplomata que chefia o gabinete de Pedro Passos Coelho e de quem é amigo pessoal. 
Este estado de coisas só é possível pela estado de “extrema fragilidade política” em que se encontra Machete, agora já não só devido às trapalhadas em que esteve envolvido enquanto dirigente, accionista da SLN e presidente da FLAD, mas agora também após a gaffe protagonizada aos microfones da Rádio Nacional de Angola e que politicamente o reduziu a uma necessária e óbvia insignificância que só a já conhecida teimosia do primeiro-ministro o mantém como ministro. 
Aliás a este propósito, seria curioso percebermos a quem de facto interessou a divulgação pública, através do “Diário de Notícias” e com quase um mês de atraso, da desastrada declaração de Machete em Luanda. E na prática, quem lucrou com ela? E já agora, como é que a informação demorou um mês a chegar ao jornalista que aliás, diga-se de passagem, obteve assim um excelente “furo”? Será que ali não houve algum prestimoso e diligente “dedo” que, embora tardiamente, tenha empurrado para fora das Necessidades algum telegrama da nossa representação em Luanda? Uma coisa é certa: a partir desse episódio e somando-o a toda a “carga” que já trazia do seu passado nebuloso, Machete perdeu todo e qualquer espaço e margem de manobra para chefiar a diplomacia portuguesa. Que pelos vistos continua a ser manobrada pelo anterior titular, agora a partir do palacete do conde de Farrobo…

11 ComentáriosDeixe um comentário

  • Mas o Francisco Ribeiro marido dessa marafona ajudante do Vale e Azevedo no Benfica a imitar assinaturas – teresa leal coelho – não foi promovido e saiu do gabinete do ALFORRECA? Será que estou desactualizada e ainda só mudámos de ano há 24 horas?. Parece-me ter visto no Diário da Republica a Promoção do Ribeiro que obteve do seu antigo chefe, Luis Amado agora Administrador do BANIF, os melhores encómios. Eles são como as moscas vão mudando mas a m…fica

  • Cara Lídia
    Bom 2014!!! Você faz-me sorrir,na positiva, e isso é difícil.
    Bem haja!!!
    Alforreca,já lhe tinha dito antes, é muito bom….ahah
    Mas este Governo é tão mau,tudo tão mau, tão baixo, tão cheio de parvoíces e de parvos, tão incompetente como os que fazem parte dele, que eu já nem gasto um só momento a falar dele,abrindo agora uma excepção porque mais uma vez sorri……

  • O Francisco Ribeiro de Menezes foi promovido a embaixador (aos 46 ou 48 anos, o que é notável…), mas não abandonou o gabinete do amigo Pedrinho, Nem pensar! Quando sair de ali irá direitinho para Madrid onde o Tadeu Soares não está a fazer outra coisa senão a guardar-lhe o lugar. A ele e à futura sra. embaixatriz Teresa Leal Coelho, o que pelo menos terá uma virtude: livra-nos da presença televisiva diária da horripilante criatura. Valha-nos Deus!

  • Obrigada Miguel. Se não for muita indiscrição é da família Vaz Serra do grande Advogado Vaz Serra e de sua mulher antiga Bastonária? Se não desejar não esclareça.pois não é morte de homem. Quanto ao ALFORRECA, lamento não ter sido eu a autora dessa alcunha tão bem aplicada, mas sim o João Gonçalves do Blogue Portugal dos Pequeninos, em 2011, passados 6 meses foi contratado para o Governo do ALFORRECA e foi Ajudante do Relvas a quem ele apelidou de TORQUEMADA DE TOMAR. Agora despedido o Relvas e o Santos Pereira, faz comentários lancinantes no seu blogue e os inimigos atacam-no. Como ele voltou para a Direcção Geral de Finanças onde é Jurista qualquer dia passa-se e divulga os podres. O que acha da saída do Terrível Ângelo da FORMENTINVEST, sendo substituido pelo Couto dos Santos o que está correcto pois trata-se de uma empresa de lixo. E a experiência do Couto no Cavaquistão vai servir-lhe de muito a não ser que o Julgamento sempre pendente do Oliveira e Costa não fique para as calendas gregas.

  • Zé Rilvas, obrigada pelo seu esclarecimento, mas parece-me que ele saiu mesmo do Gabinete por causa das incompatibilidades. Quanto a ele ir para Madrid e levar a marafona com ele, realmente seria um alívio, mas parece-me que anda Moura na Costa. Vou saber melhor e depois conto. Obrigada e bom ano 2014 com trabalho e saúde o que já não é mau.

  • Cara Lídia.
    Peço desculpa ao amigo ZPF de utilizar o espaço dele para “lhe escrever” mas como ele publicou a pergunta, pois aqui vai a resposta.
    Infelizmente para nós, na família Vaz Serra houve sempre poucos homens(digo infelizmente porque pela lei a família vai-se perdendo,não como sexista) e por isso a família ficou sempre pequena.Só uma existe.
    Já existe um ramo em Espanha pois dois irmãos Vaz Serra casaram com Espanholas,foram viver para lá e já vão na 3º geração de Vaz Serra.
    Um ramo de Cernache do Bonjardim do Comendador Libânio Vaz Serra que fundou o Colégio Instituto Vaz Serra e a Empresa Viação Sernache(23 empresas de transaportes agregadas e roubadas em 1975 pelo Partido Comunista instaurado durante a Ditadura Gonçalves) e o ramo do primo Adriano Paes da Silva Vaz Serra.
    Os seus estudos preparatórios para o Código Civil, sobretudo em matéria de direito das obrigações, são uma obra essencial.Ainda hoje muita coisa lá foi feita por ele.
    Esse ramo está mais concentrado em Coimbra de onde vêm os Moura que por snobeira usam Vaz Serra e Moura mas quem era Vaz Serra era a mãe.
    Esse nome não existe.
    Moura é o Pai.Um Senhor bom e educadíssimo.
    Um deles foi Secretário de Estado do Governo Sá Carneiro.
    Normalmente encontravam-se de Junho a Outubro na Figueira da Foz onde passei sempre as Férias até 1974. Depois disso a família desagregou-se. Muitos foram ameaçados de morte e perseguidos pelos Comunistas e COPCON.
    Fugiram do País com os filhos menores na altura.
    O Instituto Vaz Serra foi tomado pelos Professores e a casa mãe assaltada e vandalizada.
    Aliás,se os Comunistas se atreviam a queimar obras de arte do Museu Del Prado que estavam em terreno Espanhol(Embaixada de Espanha em Lisboa)imagine o que não era na Beira Baixa no meio do nada.
    Portanto,sou sim da família desse Senhor segundo o meu Bisavô José Vaz Serra,pai do Comendador Libânio.
    Penso que todos vinham de uma aldeia perdida no meio do nada,Álvaro.Peço desculpa por tanta explicação 🙂

  • O Ribeiro de Menezes continua a chefiar o gabinete do PM, não é correto que tenha saído. Pelo menos até ao Verão vai ficar por S. Bento e é bem possível que a futura embaixatriz em Madrid seja candidata ao PE nas listas conjuntas PSD-CDS…

  • Obrigada estou esclarecida quanto ao marido. Quanto à mulher não há noticias dela ter ido à Carregueira desejar um
    Bom Natal e Ano Novo ao seu amigo do peito VALE E AZEVEDO- O mesmo acontece ao casal Oliveira e Costa antes íntimos do casal Mariani. Agora são como a peste quanto mais longe melhor.

  • Cara Lídia
    Não me dava com eles,não sei da Senhora Bastonária ehehehe
    Mas já agora lhe digo que Vale e Azevedo,com tudo o que sabemos dele,é um excelente Pai,marido e tio.Não o conheço mas conheço família dele(muito) e posso dizer-lhe isso. Nem sabia que a “prima” era assim tão íntima.Bom saber.
    Como sabe,no Hospital e na prisão se sabe quem são os amigos.
    Pelos vistos a prima era falsa!!!

  • Carissimos VAZ SERRA, fiquei impresionada pela discrição que faz sobre os seus ascendentes. Bem haja, A minha amiga Margarida David de Sernache de Bomjardim, estudou no Instituto Vaz Serra e é grande admiradora de sua Família.
    Tambem conheço uma familia Amaro que reside no Casal do Amaro, um honesto homem de Cernache casado com uma nativa Africana do qual existe uma numerosa prole
    É sempre um prazer ler os seus comentários e lamento bastante o acontecido durante o Gonçalvismo, mas nas revoluções há sempre os injustiçados. Estranhei muito a reviravolta de General Gonçalves que era meu vizinho na Avenida de Roma. era pessoa sensata, sem ortodixias, e de repente deu uma volta de 360º

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *