José Paulo Fafe

Mal me quer, bem me quer


NA ÚLTIMA quarta-feira, durante a tão badalada apresentação do seu livro, José Sócrates teve oportunidade de agradecer publicamente a contribuição que Manuel Alegre terá dado para o seu memoire, com os seus conhecimentos sobre a Argélia, país onde viveu exilado antes do 25 de Abril. Uma atitude no  mínimo curiosa, especialmente para quem leu a controversa obra de Joaquim Vieira sobre Mário Soares, mais concretamente a página 755, onde o próprio Soares relata a conversa que manteve com Sócrates sobre Alegre no dia 24 de Janeiro de 2011 quando este, poucas horas antes, enquanto candidato oficial do PS, tinha sido inapelavelmente derrotado nas eleições presidenciais onde Cavaco Silva foi reeleito. Vale a  pena recordar o excerto, nas palavras do próprio Soares e onde fica patente a consideração que em privado o então primeiro-ministro e líder socialista tinha por Alegre, o mesmo a quem hoje agradece publicamente o contributo dado para a elaboração do seu trabalho escolar:
“(…)No dia seguinte à vitória do Cavaco, chamou-me lá [à residência oficial]. Eu chego e o gajo estava radiante, bem disposto. E a primeira coisa que me diz foi: ‘Ó Mário, acabámos com aquele [insulto]‘. E eu disse: ‘Eh pá, não gosto disso, palavra que não gosto disso, não é bonito, não diga isso’. ‘Eh pá mas ele estava na merda, eu nunca o vi assim’“. Pois…

1 comentárioDeixe um comentário

  • Amigo ZPF
    Quanto mais me bates mais eu gosto de ti.
    São todos, os três, tão “estranhos” que se merecem.
    Aliás, todos os Socialistas se merecem. Afinal não foi o Partido que nos levou 3 vezes à Banca Rota em menos de 40 anos???????

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *