José Paulo Fafe

“Isto anda tudo a ouvir vozes”…

UMA PESSOA resolve ler jornais e depois fica a matutar, a matutar, a matutar… E invariavelmente percebe que de facto – como diz alguém que eu conheço – “isto anda tudo a ouvir vozes”…
1. Aquele rapaz barbudo do programa da D. Clara na SIC-N demitiu-se do Bloco de Esquerda.  Deve estar inconsolável, porque a notícia só durou um dia e muito por conta das suas próprias declarações. Coitado.

2. Li não sei onde que há umas semanas, um grupo de pessoas aguardava um qualquer ministro para, à entrada de uma visita, lhe cantar a “Grândola”. Só que a criatura atrasou-se e os sete ou oito “grandoleiros” destacados para o efeito resolveram ir até ao café beber a bica. Quando voltaram, o ministro já tinha entrado. E agora? “Não tem problema“, tranquilizaram-nos logo os repórteres televisivos presentes: “Juntem-se aí, cantem, que a gente depois lá edita“. E pronto, à noite lá apareceu o ministro a ser “mimoseado” pelos manifestantes… E o mais curioso é que isto é contado e escrito em letra de imprensa como se fosse algo normalíssimo e o sindicato e essas comissões todas da ética e da deontologia, sempre tão céleres a pronunciarem-se por dá cá aquela palha, moita carrasco…

3. Miguel Relvas publicou um excelente artigo sobre a importância estratégica da RTP África e da RTP Internacional e do papel que estes canais podem (e devem desempenhar) na presença e reforço da língua e cultura portuguesas. Como não apareceu ninguém a “grandolar”, a falar do percurso universitário do autor o, repito, excelente artigo do ministro passou praticamente despercebido.
4. O cardeal argentino Jorge Bergoglio foi eleito Papa. Falou-se de tudo – desde o seu conservadorismo à sua paixão pelo futebol (mais concretamente pelo San Lorenzo de Almagro) passando pelo facto de ter ser levado uma vida austera e até de uma alegada antiga namorada, de seu nome Amália (na foto) e que (pasme-se!) já dá entrevistas à porta de casa e tudo… O que ainda ninguém fez (acho eu…) foi confrontar a Opus Dei com esta ascensão de um jesuíta ao lugar mais cimeiro da Igreja Católica. Era capaz de ser interessante. Digo eu, não sei…

5. Profunda (para não dizer outra coisa) a frase de Assunção Esteves a propósito da eleição de Francisco I : “A escolha do novo Papa traduz o sinal de uma nova geografia do pensamento“. Aguardo ansioso um livro de citações da simpática presidente da Assembleia da República…

6. Em Cascais existe um vereador do CDS que, apesar de aparecer nos cartazes do movimento independente que se perfila para concorrer às próximas autárquicas, esqueceu-se de renunciar ao cargo ou, pelo menos, aos pelouros que ocupa. No mínimo extraordinário, para não dizer triste…

7. Também em Cascais, o ex-ministro Mário Lino “deu uma” de actor. E pior: houve quem aplaudisse!

8. Alguém me consegue explicar exactamente o que é que fazia (ou fez) o actual governador do Banco de Portugal enquanto director do BCP? É que não sei porquê, mas achei um bocado atabalhoadas as declarações de Carlos Costa sobre as “off shores” no âmbito do processo que está a decorrer e em que é testemunha…

9. Ao ler a entrevista do director do “Correio da Manhã” e agora também da sua TV à revista do “Sol”, lembrei-me daquela piada sobre os argentinos – “o melhor negócio do mundo é comprar um argentino pelo preço que ele vale e vendê-lo pelo preço que ele pensa valer“. Porquê? aqui ficam algumas frases da referida entrevista… “Tenho uma garrafa de champanhe à espera da liderança (das audiências televisivas)”; “fui o melhor atleta do Barreirense desde os três anos até aos 12(…)”; “Se o meu caminho (como futebolista) tivesse sido linear teria ido para o Benfica“; “tocámos nós, o primeiro produtor dos U2 e a Laurie Anderson, mas nós fomos o grande sucesso“, sobre um concerto dado no Forum Picoas por uma banda de que fez parte; “(…) acho que levei para a RTP conceitos estéticos inovadores“; “embora tenha feito um excelente lugar (como assessor do ministro Couto dos Santos)“; “em 94/95  (a TVI) começamos a melhorar (…) é quando compramos séries de culto (…) e eu faço alguns formatos esteticamente arrojados(…)”; e “quando cheguei (ao ‘Correio da Manhã’) o líder era o ‘JN’ (..:) e o João Marcelino veio à sala de reuniões dizer que o objectivo era chegar aos 100 mil (…) eu pego no ‘JN’ e digo ‘e ultrapassar estes senhores’ (…) o João olha para mim como se eu estivesse maluco, mas ultrapassámos“.

10. A SIC noticia, com grande destaque, que ministra Assunção Cristas nomeou dois antigos colegas na Faculdade de Direito de Lisboa para cargos superiores no âmbito do seu ministério. Mas qual é o problema? Se tivessem estudado na Católica ou na Lusíada, as nomeações deixavam de ser polémicas?!

11. Depois de ter citado Pascal numa conferência dada no antigo ISEF, Jorge Jesus não deixa os seus créditos por mãos alheias. Esta foi agora mesmo: “Só vêem a parte da frente da árvore, não vêem a parte de trás“.

1 comentárioDeixe um comentário

  • Amigo ZPF
    Já agora e se me permites, quem deve andar a ouvir vozes tambêm e muitas, mergulhado numa esquizofrenia compulsiva, degenerativa e mortal, é Victor Gaspar.
    É já patético este Ministro monocórdico.
    Se não fosse o número dois do Governo eu até me ria.
    Jardim, lá da Madeira já pediu a cabeça do PM e eu que quase nunca concordo com o Madeirense, dou-lhe razão.
    Quem mantêm uma política destrutiva deste calibre, vê que não resulta e insiste, das uma uma, ou é um mau carácter sádico ou de uma incompetência incontrolável. Quero pensar que é a última.
    Não me venham com a conversa de ir ao rabinho que é culpa da Troika.
    Isso é para os débeis mentais e graças à genética, disso tenho zero.
    Espero que o PSD ponha de uma vez travão a esta ala desmiolada do Partido porque caminhamos para um caos sem volta atrás.
    Isto está de tal forma que um dia alguêm vai acabar à americana e depois choram………….

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *