José Paulo Fafe

A hora de Alegre

A INEVITAVIBILIDADE de uma nova candidatura de Manuel Alegre à Presidência da República, agora com o apoio expresso do Partido Socialista, cresce de dia para dia – especialmente depois de, segundo corre, Jorge Sampaio ter já formalmente comunicado a José Sócrates estar “fora” dos seus horizontes envolver-se na sucessão de Cavaco. E apesar de existirem ainda significativas “bolsas de resistências” no seio dos socialistas ao nome de Alegre (especialmente os sectores mais próximos de Mário Soares) e que têm vindo a “testar” o nome de Jaime Gama, tudo leva a crer que o facto de, à partida, o poeta assegurar praticamente o “pleno” da esquerda pode conduzir Sócrates a dar “sinais” inequívocos que permitam a este anunciar a sua candidatura no final do segundo trimestre do próximo ano.

1 comentárioDeixe um comentário

  • Amigo Zé Paulo
    Alegre,garanto-te que ficará triste.
    A única mais valia que tinha era precisamente não ter o apoio do PS.Amigos assim só tem gente duvidosa.
    Hugo Chavez por exemplo, grande amigo do nosso amado PM,deu agora apoio total ao Irão. Esses são as pessoas com quem o PM gosta de se dar.
    Ora o PS apoiando Alegre e pior, Alegre aceitando o mesmo, perde as eleições ainda antes de ser candidato.
    Sócrates desfez o Partido Socialista. Criou um novo partido, tipo ANP, acabou com a jovem democracia portuguesa com a cumplicidade do PSD,PP,BE e do PR.
    Ninguém quer um novo PR desse novo PS.
    Dizem que os militares andam a limpar as armas. Mensagens de telemóveis promovem mega manifs para Dezembro..Isto está bonito….

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *