José Paulo Fafe

Dra. Maria, a “ghost-writer”

NINGUÉM ME tira da cabeça que quem escreveu o sofrível discurso de anúncio de recandidatura de Cavaco Silva foi a sua cara-metade, a sempre omnipresente Dra. Maria. Especialmente aquela passagem do “Portugal é o meu partido” (no mínimo ridículo…) e o escusado trecho onde resolveu “puxar os galões”, ao jeito do “se não fosse eu, onde é que isto tinha ido parar?”. Convenhamos que não há muita pachorra para este estilo…

1 comentárioDeixe um comentário

  • Um momento “Yes, I can”. Comecei por ouvir o discurso, mas sem paciência para o fazer até ao fim. A pergunta é simplesmente esta: Portugal está melhor com os quase cinco anos de Cavaco(para não falar de Sócrates)? É unânime, não está. Agora, com os mesmos, vai mudar? A oferta não me satisfaz, se me deslocar a uma mesa de voto será para votar em branco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *