José Paulo Fafe

Com quem ferros mata…

A MEMÓRIA tem destas coisas… Quem se lembra da irónica declaração do então primeiro-ministro Cavaco Silva sobre o também então Presidente da República e onde apelava a que Mário Soares fosse ajudado a “terminar o seu mandato com dignidade“. Eu lembro… E já agora possuo algumas dúvidas se, tantos anos depois, os portugueses têm agora vontade de contribuir para que o dr. Cavaco termine, também ele, o seu mandato como chefe de Estado “com dignidade”. Pelo que tenho visto nos últimos dias, “cheira-me” que não!

2 ComentáriosDeixe um comentário

  • Gosta tanto de se identificar com o “povo” mas não deixa de olhar com sobranceria sobre o próprio povo, no alto do seu pedestal em que ele próprio se colocou fala em tom paternalista para o “povo”.
    Já chega!
    Mas, tal como a gente do povo faz, e com a sabedoria popular que a sua vaidade e complexo social não deixa se exprimir. Vamos relembar alguns ditados para além daquele ribatejano que o JPF mencionou.
    Então aqui vai: um já muito antigo “Quem pouco ganha e muito gasta, ou herdou ou roubou!”
    Permita também recordar que muitos dos eleitores não tinham alternativas! E portanto com a mesma sabedoria: “Dinheiros de sacristão, cantando vêm, cantando vão!”

  • Estimado amigo ZPF
    Uma pessoa que insulta quem lhe dá poder e sustento, pois votou-o, não tem lá muita dignidade.
    Cem anos que viva não me vou esquecer nunca do insulto que senti na pele como Português apesar de nunca ter votado Cavaco Silva nem no PSD nem muito menos nas Presidenciais, quando ele disse que “era necessário nascer duas vezes” para ser tão honesto como ele. Foi a resposta do mesmo à descoberta da alegada permuta da casa no Algarve que não existia, só no projecto, e das acções que ele e a filha compraram e venderam por 137 vezes, se não estou em erro, num abrir e fechar de olhos.
    Como eu só nasci uma vez mas nunca especulei com a bolsa nem alegadamente fiz permutas de coisas que nunca se construíram, fiquei em choque e senti-me insultado.
    Fiz guerra aberta ao CDS e Paulo Portas por ter apoiado Cavaco Silva pois achei de uma hipocrisia mútua sem limites e odeio hipócritas.
    Mais tarde paguei por isso mas durmo lindamente e sem necessidade de pastilhas.
    O mundo está carente de “homens” de bem e políticos à séria. Daqueles que perdem eleições porque põem os interesses do cidadão acima de os dele, mas Portugal abusa.
    Isto é uma gentalha que nem dentro de 100 anos vai mudar de mentalidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *