José Paulo Fafe

A nódoa, o garoto e o verbo de encher…


POR MEROacaso, já a noite ia alta, vi por uns breves instantes a repetição da entrevista que horas antes um enfatuado (e certamente encalacrado…) António José Seguro concedera à SIC-N. E o que vi – ou ouvi, no caso – é no mínimo confrangedor… Primeiro disse: “(…) eu não entrei numa negociação, entrei num diálogo“. A seguir, adianta: “Apresentámos as nossas propostas, eram 20 páginas“. Depois assegura: “Não nos sentámos com o governo, mas com os dois partidos“. Finalmente, remata: “Quem tinha de ceder o governo“. Tudo isto foi dito, em directo, na televisão, por uma única pessoa e apenas num breve minuto – sem tirar nem pôr!
Pobre País o nosso, que possui um Presidente da República que é uma nódoa,  um governo onde um garoto irresponsável que sujeita os portugueses a amuos, birras e golpadas de toda a espécie põe e dispõe e uma oposição que é “liderada” por um verbo de encher…

1 comentárioDeixe um comentário

  • Amigo ZPF
    O novo Partido, o PS (Partido de Sócrates) é a maior nódoa actual (com “c”) da política nacional.
    Mário Soares ajudou.
    Alegre juntou-se ao “coiro”.
    Seguro teve tudo nas mãos e tudo perdeu.
    Nunca vai ser PM e Cavaco tinha-o coroado para 2014.
    Não foi forte e agora não só nunca o será como perdeu a liderança do Partido que lhe permite ainda usar o título de Líder,quando já não o é tambêm.
    Fez um figurão, ridículo, perante os Socialistas verdadeiros e responsáveis e perante o povo que julgará o Partido por uma vez mais entregar-se de corpo e alma aos negócios e não olhar para a situação precária e de banca rota da Nação.
    Perderam todos, perdeu o povo. Mas…..isso que interessa,verdade?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *